2 de jun de 2012

Para a senhora que custa em me deixar.

Hoje eu estou com a senhora carência batendo na porta, já escutei música, sonhei bastante, até andei lendo os escritos antigos e percebi que essa talzinha consegue me fazer escrever cada versinho meloso que da minha cabeça chega a escorrer mel... Senhora querida, vá dar um passeio, encontrar um lugar, alguém que te ame por que hoje eu não tenho tempo, hoje eu quero ficar só.
De carência eu só quero a lembrança, sinto falta é do gelo que de tanta desatenção, derreteu.

Um comentário: